quinta-feira, 30 de junho de 2011

Emei Reino Encantado recebe o Projeto Colorindo a Escola

A Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) Reino Encantado promove nesta sexta-feira, 1º de julho, das 9h às 17h, a “Festa da Família” encerrando mais um semestre de atividades escolares. As 97 crianças matriculadas participarão de atividades diferenciadas e terão o muro da escola pintado pelo Projeto Colorindo a Escola, com o tema Meio Ambiente.

A “Festa da Família” tem por objetivo integrar a comunidade e familiares de alunos na unidade escolar por meio da celebração. “É muito importante esse tipo de encontro, porque a participação da família é o suporte da escola”, diz a Diretora Marlene Mingone.

A programação do evento contará com prática de ginástica orientada pela estagiária Catúcia Aparecida da Silva, pintura das paredes da casa de boneca, com Amilton Luis Fim Lima do Programa Colorindo a Escola, contação de história, com Maria Lúcia Bachiega Kolokathis do Programa Arte e Movimento e Oficina de Origami, com Cris Coelho.

O projeto Colorindo Escola faz parte do programa Arte e Movimento, que é realizado por meio de uma oficina de pintura, desde 2006, ministrada pelo professor Amilton Luis Fim Lima aos educadores da rede municipal. Uma das principais propostas do projeto é integrar a unidade da rede de ensino com a comunidade em que está inserida.

As Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) Maria Pavanatti Fávaro, Orlando Carpino e Virgínia Mendes Antunes Vasconselos e o Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Margarida Maria Alves já aderiram ao projeto.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

O Programa Arte e Movimento, através do Projeto Arte na Escola, levou espetáculos teatrais para os alunos da rede municipal em 2010





O Programa Arte e Movimento ofereceu, nos meses de agosto e setembro de 2010, apresentações de teatro e dança para 5.950 estudantes do 1º ao 5º ano de 21 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs), por meio do projeto Arte nas Escolas.

O projeto visou oferecer gratuitamente espetáculos de qualidade, sempre com mensagens educativas, incentivando a criatividade e divertindo as crianças. “De forma sutil e lúdica, as apresentações abordam temas como meio ambiente, cidadania e respeito”, afirmou Maria Lúcia Bachiega Kolokathis, professora referência do programa Arte e Movimento.

O projeto Arte nas Escolas teve início em 2009, quando apresentações teatrais chegaram a oito unidades escolares. Em 2010, o projeto foi ampliado e nas próximas edições, pretende atender toda a rede municipal de ensino.

O projeto foi produzido pela Direção Cultura Produções e patrocinado por leis de incentivo à cultura. Os espetáculos apresentados foram: Circo de Latão (Grupo Último Tipo), Coração Verde (Grumaluc), O Passe e o Gol (Grande Urso Navegante) e A Cigarra e a Formiga Produções Artistas (Packer Cia de Dança).

As apresentações aconteceram entre os dias 18 de agosto e 24 de setembro e cada escola recebeu duas sessões para que todos os alunos dos anos iniciais do ensino fundamental pudessem ter acesso ao espetáculo.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

DIÁRIO DE BORDO - Prof Amilton Fim


            Diário de Bordo 
            Proporcionar novas técnicas de produções artísticas para as crianças é um grande desafio para os professores de educação infantil.
            As técnicas e materiais são quase sempre os mesmos. Podemos observar todos os anos nas amostras de trabalho da grande maioria das escolas. O motivo da “mesmice” não é a falta de criatividade dos professores, mas sim, a falta de tempo e espaço para que os mesmos possam vivenciar outras experiências, deslumbrar novos artistas, contemplar novas técnicas e principalmente produzirem livremente para aprenderem a executar esta arte de deixar a criança produzir de acordo com sua idade, capacidade, experiência e vontade.
Participar do curso Técnicas Básicas de pintura todas as terças-feiras foi para mim a busca de “algo novo” para modificar minha prática pedagógica no que se refere “ao criar” da criança.
            As crianças amam pintar, o que acontece é que muitas vezes devido a várias intervenções dos adultos que determinam com quê, onde, como e o quê pintar, vai fazendo que este interesse vai sendo deixado para trás pelas crianças.
            Resgatar o desejo de criar e pintar livremente com diversos materiais foi meu objetivo neste semestre tanto para mim nas aulas do curso, bem como para minhas crianças.
            Penso que o bom curso inicia com o professor e chega na escola com atitudes coerentes que melhore a prática de todos da unidade escolar e não somente para a turma do professor que realiza o curso. Sendo assim o curso positivo é aquele que atinge toda a unidade escolar.
            Foi assim que aconteceu neste curso, onde o CEMEI Margarida Maria Alves teve o prazer de conhecer o professor e artista plástico Amilton que passou um dia inteiro em nosso CEMEI com a proposta de auxiliar as crianças a pintarem a parede de uma casinha de boneca que estava totalmente danificada.
            A direção através de recursos da escola deixou a parede pronta para a pintura, os professores trabalharam com suas respectivas turmas várias técnicas de pintura, o pessoal da limpeza mudou seus horários para que todos tivessem auxiliando neste dia, as cozinheiras mudaram seu cardápio para uma alimentação mais leve, pois todas as crianças estavam tão empolgadas para pintar que não se queriam ficar muito tempo no refeitório, os professores contínuos, monitores, e estagiários foram todos convidados a participarem de tal atividade, e todos prontamente atenderam.
            Foi um sucesso!!!
            A casinha esta linda!!!
            O retorno foi ótimo porque todos os dias ao sair as crianças levam seus familiares para contemplarem suas produções, na verdade as paredes da casinha se tornaram uma exposição permanente de obras de arte.      
                Prof.ª Vera Lucia

Curso Básico de Pintura 2011 - Prof Amilton Fim

video
Impressões da aluna Profª Dulciley I. B. F. Silva

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Oficina para educadores - parceria do Programa Arte e Movimento com o Hopi Hari

Prof. Amilton participando da peça teatral "Eu sou o sol"
Show country no Teatro Kaminda
Peça teatral "Arlequim e seus dois patrões", interpretada pelo ator e oficineiro do Programa Arte e Movimento Lancelot Tanner
Luciana Costa da Silva, Prof. Amilton e Mariângela Kachan
Maria Cristina Coelho Lemes, Luciana Costa da Silva e Prof Amilton

sexta-feira, 17 de junho de 2011

PROJETO CARLOS GOMES NAS ESCOLAS – 2006/2009

De 2006 até 2009, o Programa Arte e Movimento ofereceu a todas as EMEFs e algumas EMEIs o “Projeto Carlos Gomes nas Escolas”, com o objetivo de levar aos alunos e professores das escolas públicas municipais de Campinas a obra do grande compositor, representadas por suas modinhas e canções.

A divulgação das composições de Antônio Carlos Gomes nas escolas procurou recuperar a memória musical brasileira e também divulgar a obra do grande maestro, que viveu na época em que o país transitava do período monárquico para a república.
Tenor Vicente Montero

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Projeto Colorindo Escola - CEMEI Margarida Maria Alves





No dia 03 de junho de 2011 foi realizado o "Projeto Colorindo Escola" na Cemei Margarida Maria Alves. As crianças de 3 a 5 anos pintaram as paredes e deixaram as mãozinhas marcadas no pilar do prédio.
O projeto Colorindo Escola traz um novo ambiente para os alunos, tornando a escola um espaço visivelmente mais atraente e valorizado, já que o trabalho artístico é realizdo pelas próprias crianças. Dessa forma motivando os alunos e mostrando que a arte faz parte do dia a dia.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Projeto Colorindo Escolas - Profº Amilton Luis Fim Lima e mãos que ajudam

video

Oficinas Temáticas Livres Dança do Ventre - Turma A - Profª Silvana Salvador

As Oficinas Temáticas Livres Dança do Ventre, desenvolvidas pela professora Silvana Salvador, através do "Programa Arte e Movimento" SME - Secretaria Municipal de Educação de Campinas, oferecem às educadoras, gestoras e funcionárias da Rede Municipal de Ensino a aprendizagem dos movimentos executados na Dança do Ventre com o objetivo de estimular a produção e o equilíbrio dos hormônios femininos, auxiliar a cura da insuficiência ovariana, combater a prisão de ventre, já que estes movimentos trabalham o tônus da parede abdominal e contribuem para o peristaltismo voluntário. A Dança do Ventre, além de estimular a produção de hormônios pela glândula pineal, cujo desequilíbrio leva a mulher à depressão, desenvolve a auto-estima.












Emef Pe. Emílio Miotti - Evento do Programa "Um Computador por Aluno 2011" - SME, Unicamp e Governo Federal




Alunas do Projeto Ááiune - Programa Arte e Movimento

Vídeo Thomaz Perina "Eu quero o mínimo para falar".

Instituto Thomas Perina - Prof Amilton Fim, alunas, mães e Angelina Diretora Administrativa do instituto.

O Instituto Thomaz Perina tem como objetivo preservar e disponibilizar, à visitação e pesquisa, a obra e o legado do autor. Depois de seis décadas de trabalho, o artista acumulou mais de 2 mil peças que foram organizadas em três coleções: produção, aquisição e documentação.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Oficina de Graffiti na EMEF Ciro Exel - Prof Amilton Fim

video

Oficina de Graffiti na EMEF Odila Maia Rocha Brito - Prof Amilton Fim

video

DOM JOÃO E A INVENÇÃO DO BRASIL – CATIBRUM TEATRO DE BONECOS




O Programa Arte e Movimento ofereceu aos alunos da Rede Municipal de Ensino de Campinas a peça infantil Dom João e a invenção do Brasil, do grupo Catibrum Teatro de Bonecos vindo da cidade de Belo Horizonte. O espetáculo aconteceu na Concha Acústica do Parque Taquaral, nos dias 26 e 27 de maio de 2011.

Baseado no livro "D.João Carioca", de Lília Moritz Schwarcz e Spacca, conta a saga da família real portuguesa no período da invasão de Portugal pelas tropas francesas.
Uma saga, que não só retrata a fuga em massa da família real para o Brasil, mas também o marco inicial dos eventos que forjaram as instituições, a cultura e a política brasileiras. Começava aí a invenção do Brasil.
A peça com DJ ao vivo ofereceu aos alunos uma proposta pedagógica de como se portar e aplaudir um espetáculo teatral, o que foi muito enriquecedor para o público, uma oportunidade única.