segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Curso de Formação Técnicas Básicas de Pintura





Formadora: Liliane Detoni
O curso de formação Técnicas Básicas de Pintura, oferecido aos professores e monitores da SME, tem como objetivo oferecer noções de linguagem da pintura utilizando diversos materiais, conteúdos técnicos e teóricos, procurando desenvolver o senso estético para atuação no trabalho pedagógico do professor.

sábado, 29 de outubro de 2011

Concurso de Cartaz sobre a Paz do Lions Club Internacional - “AS CRIANÇAS SABEM DA PAZ”

O Concurso de Cartaz sobre a Paz do Lions Club Internacional incentiva as crianças de 11 a 13 anos de idade a expressarem criativamente suas percepções sobre a Paz. O tema do concurso para 2011 é “As Crianças Sabem da Paz”. O concurso oferece aos estudantes a oportunidade de expressarem imagens singulares da paz, compartilhando suas visões com o mundo, para que todos nós tenhamos maior tolerância e compreensão internacional.

Regras e Condições do Concurso

Os participantes que não satisfizerem as regras e condições relacionadas abaixo serão desclassificados.

  • Somente um Lions Club poderá patrocinar o concurso em escolas locais ou grupos juvenis organizados ou patrocinados, como programas da Associação Cristã de Moços, clube de rapazes e moças, escoteiros etc.. Os grupos de jovens patrocinados pelos Lions Club, tais como Leos clubes ou unidades de escotismo, não se qualificam a participar do concurso. Contudo, membros individuais de tais grupos poderão participar caso o concurso deja realizado em sua escola ou outra organização juvenil.
  • O concurso está aberto aos jovens de 11, 12 e 13 anos de idade completos até 15 de novembro de 2011. As datas de nascimento consideradas válidas são de 16 de novembro de 1997 a 15 de novembro de 2000.
  • O tema do concurso é “As Crianças Sabem da Paz”.
  • Os cartazes não poderão ter dimensões inferiores a 33 por 50 centímetros ou superiores a 50 por 60 centímetros. O cartaz não poderá ser montado ou emoldurado.
  • Cada estudante poderá participar com apenas um cartaz e cada cartaz deverá ser de autoria de um só estudante.
  • O trabalho artístico deverá ser criação original e individual do estudante. As reproduções não serão aceitas.
  • A técnica de confecção é livre. Observação: os cartazes desenhados a giz, carvão ou pastel deverão ser selados com substância fixativa para que não manchem. Não plastifique o cartaz.
  • Não serão aceitos cartazes em três dimensões. Nada poderá ser colado, grampeado ou afixado de qualquer forma ao cartaz.
  • Não é permitido o uso de números ou palavras em qualquer idioma no cartaz. As assinaturas ou iniciais dos artistas deverão ser postas no verso do cartaz.
  • Os cartazes deverão ser feitos em material flexível que possa ser enrolado e colocado em um tubo para remessa pelo correio. Não dobre o cartaz.

A Secretaria Municipal de Educação de Campinas terá o direito de enviar 13 cartazes, que serão selecionados por uma comissão formada por profissionais da área de Artes, atuantes na formação.

Cada EMEF deverá selecionar 02 (dois) cartazes, indicando 1º e 2º lugares. A comissão selecionará 13 cartazes entre os primeiros lugares de cada EMEF. Caso seja necessário, as vagas serão preenchidas com cartazes escolhidos entre os segundos colocados de cada EMEF.

A EMEF deverá enviar os dois cartazes selecionados, juntamente com a autorização dos pais ao CEFORTEPE – Centro de Formação, Tecnologia e Pesquisa Educacional Prof. Milton Santos, à Rua João Alves dos Santos, nº 860, Jd. Das Paineiras, telefone: 32591496, até o dia 11/11/2011, impreterivelmente. As autorizações dos pais devem ser feitas no impresso original do concurso , que serão encaminhadas pessoalmente pela equipe do Programa.

A divulgação dos cartazes selecionados acontecerá até o dia 17/11/2011, por e-mail enviado às escolas e NAEDs. Cada escola deverá informar através de uma declaração a quantidade de alunos participantes do Concurso, na etapa de produção dos cartazes. Os cartazes não contemplados serão devolvidos às EMEFs.

Programa Arte e Movimento
Apoio do Programa Linguagens e Educação

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Exposição “Criança faz Arte” acontece até dia 30 de outubro

Para quem quiser conferir o trabalho e a criatividade dos alunos das escolas municipais de educação infantil, a exposição “Criança faz Arte” acontece até domingo, dia 30 de outubro, no Instituto Thomaz Perina (ITP).

As pinturas coloridas expostas transmitem toda a arte e a imaginação das crianças de 2 a 6 anos em trabalhos que foram realizados durante todo o ano nas escolas municipais de educação infantil, sempre de acordo com o projeto pedagógico de cada unidade.

A exposição também divulga os trabalhos dos professores da rede municipal, que participam do curso "A Pintura na Prática Pedagógica”, ministrado pelo professor Amilton Luis Fim.

Os trabalhos foram realizados nas 18 unidades escolares onde os alunos usaram técnicas que as professoras aprenderam no curso de pintura, ministrado no Centro de Formação, Tecnologia e Pesquisa Educacional (Cefortepe).

Cerca de 600 estudantes fizeram as pinturas. A cada semana do mês de outubro, um grupo de trabalho será exposto, possibilitando a divulgação de aproximadamente 460 trabalhos, das crianças de 2 a 6 anos.

As escolas que participam do evento são: Escola Municipal de Ensino Infatil (Emei) Prefeito José Peres Neto, Emei Cantinho da Alegria, Emei João Vialta, Emei Comecinho de Vida, Emei Marcia M. Otranto Jorge, Emei Prof. Carlos Zink, Emei Profa. Hermínia Ricci, Emei Anitta Affonso Ferreira, Emei Profa Zuleika H. Novaes, Emei Casinha Feliz, Centro Municipal de Ensino Infantil (Cemei) Brígida Chináglia Costa, Cemei Maria Antônia M.de Barros , Cemei José Fidélis, Cemei Profa Maria Célia Pereira, Cemei Maria Aparecida V. G. Júlio, Cemei Maria de Lourdes D. Passos, Cemei Margarida Maria Alves e Cemei Orlando Ferreira da Costa.

Os interessados em visitar a mostra, podem comparecer ao endereço do ITP, na Rua Santo Antonio Claret, 229, Castelo, das 10h às 16h.

Mostra "Criança Faz Arte" no Jornal Parques e Jardins

Encerramento da Mostra "Criança Faz Arte"

"BULLYING FAZ MAL PARA NÓS" - EMEF Dr. João Alves dos Santos - 1º Lugar no IV Festival Estudantil de Música FEM 2011

"Viva a Diferença" - EMEF Pe. Leão Vallerie - 3º Lugar no FEM 2011

EMEF Raul Pila - 2º Lugar no FEM 2011 - "A Gente Vai Conseguir"

IV FEM - O Significado da Palavra Bullying - EMEF João Alves dos Santos

Ensaios do IV FEM - Festival Estudantil de Música 2011

domingo, 23 de outubro de 2011

Projeto Ááiune apresenta dança árabe no FEM 2011

Rayane Lopes, Beatriz Garbui, Mayara Bueno, Profª Silvana Salvador (idealizadora e coordenadora do projeto), Samuel Vieira, Pamella Zandomenigai, Lohane Célia e Thamyris Rodrigues.

Ensaio antes da apresentação.





sábado, 22 de outubro de 2011

FEM 2011 premia alunos compositores de músicas contra o bullying







Com muita energia e em clima de conscientização, estudantes do ensino fundamental lotaram o auditório do Teatro Luís Otávio Burnier, no Centro de Convivência Cultural Carlos Gomes, na tarde de quinta-feira, dia 20 de outubro, para assistir e torcer pelos 50 colegas que apresentaram as músicas finalistas do IV Festival Estudantil de Música 2011 (FEM 2011).

O FEM, que objetiva incentivar e revelar novos talentos musicais na rede municipal, premiou os alunos participantes e entregou os troféus para os vencedores que produziram as melhores músicas com o tema bullying. Uma comissão julgadora formada por músicos profissionais e educadores foi responsável por escolher as composições vencedoras.

Na categoria de gêneros diversos, os alunos Emef Dr. João Alves dos Santos foram os campões da noite com a música “Bullying faz mal”. Em segundo lugar, a Emef Raul Pilla foi premiada com a música “A gente vai conseguir” e logo em seguida, no terceiro lugar, a Emef Pe. Leão Vallerie recebeu o troféu pela música “Viva a diferença”.

Na categoria rap, o primeiro lugar ficou com a música “Desabafo”, dos alunos da Emef Edson Luiz Chaves.

A energia contagiante em meio às coreografias no palco e as letras de conscientização sobre os maus causados pelo bullying contagiou o público, que assistiu com atenção as apresentações das oito escolas finalistas e lotou o Teatro.

O secretário municipal de Educação, Eduardo Coelho, assistiu as apresentações no festival. Muito animado, parabenizou todos os alunos, entregou as premiações e incentivou os novos talentos com carisma.

Eduardo Coelho também não deixou de ressaltar a importância da abordagem do tema nas escolas municipais. “O bullying é uma tática perversa daqueles que querem coagir os mais fracos e é muito importante que a Secretaria de Educação tenha uma resposta clara contra isso. Por meio da música é mais fácil atingir a todos, pois num verso, numa melodia e na junção de crianças cantando e outras ouvindo, o tema se põe em discussão na mente das pessoas. Com uma mensagem positiva, musical e com a união de pessoas, chega-se mais rápido a conclusão de que o bullying é um procedimento que deve ser abolido de todas as formas”, explica o Secretário.

Empenho

Maristela Ribeiro não se conteve por trás das cortinas. Muito ansiosa por ser a primeira a se apresentar, repassou a música com seus colegas da Emef Raul Pilla e surpreendeu ao soltar a voz para a plateia. “Foi uma mistura de sentimentos. É uma emoção esperar para entrar e passar uma mensagem tão importante para outras crianças, das outras escolas também se conscientizarem”, disse.

Mirela de Macedo Barbosa mostrou que a empolgação e a torcida unida das escolas pelos outros amigos deixaram de lado o clima competitivo. “Gostei muito da apresentação das outras turmas. Achei interessante, animou o pessoal. Estou muito animada com o festival”, contou a aluna da Emef Leão Vallerie.

Mas, não são apenas as crianças que ficam admiradas com o FEM. Sueli da Silva, mãe de Gabriele Paula, do 8º ano da Emef Leão Vallerie se sente orgulhosa de ter a filha participando do festival. “A Gabriele se empenhou muito para participar. Em nome das mães venho dizer que o festival é uma grande iniciativa da educação municipal por abordar temas relevantes e incentivar nossos filhos com atividades”, conta.

A coordenadora do programa Arte e Movimento, Maria Lúcia Bachiega ficou emocionada ao realizar o evento e frisou o impacto positivo do festival sobre os participantes. “A grande graça do evento é essa socialização. Desde a primeira edição, vemos crescer um grande companheirismo entre os alunos. Estamos aqui por um mesmo motivo, onde o principal não é vencer. Como uma atividade pedagógica, é também uma oportunidade de dar aos alunos uma chance de estar tratando sobre o tema”.

Entre as apresentações das músicas, imagens dos ensaios despertaram os gritos das crianças. Algumas Emefs levaram faixas para expressar a animação contagiante e a torcida por sua escola.

Para Riuper Wagner, da Emef Elza Maria Pelegrini Aguiar, o festival valeu a pena. O estudante do 8º ano levará as mensagens que aprendeu em suas atitudes no dia a dia, com seus amigos. “Temos que lutar contra o bullying, ele atrapalha os estudos. Retratamos na nossa música que isso é coisa séria. No mundo, vejo vários acontecimentos sobre isso e é uma situação muito difícil de esquecer depois”, contou.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Alunos da Rede Municipal de Ensino apresentam músicas sobre o bullying no FEM 2011

A Secretaria Municipal de Educação, por meio do programa Arte e Movimento, realiza nesta quinta-feira, dia 20 de outubro, a etapa final do IV Festival Estudantil de Música 2011 (FEM).

Os alunos de oito escolas da rede municipal apresentam, a partir das 16h, as 12 músicas finalistas no teatro interno do Centro de Convivência Cultural Carlos Gomes.

Segundo a coordenadora do programa Arte e Movimento, Maria Lúcia Bachiega, as crianças usaram toda a criatividade para compor músicas sobre o bullying, tema do FEM 2011. Para ela, os alunos abordaram o assunto de maneira completa e interessante.

Nas letras, percebemos que as crianças compreenderam o bullying como um movimento que não deve acontecer. Sinto pela complexidade das letras que os alunos estão mais preparados e conscientes. Pelo menos para os que participaram das discussões sobre o assunto, vejo que houve um diferencial referente a temática”, diz a coordenadora.

Na fase final dos ensaios, as 47 crianças finalistas recebem auxílio sobre postura de palco e orientações para a melhoria das performances das 12 músicas finalistas do festival, entre os gêneros de reggae, samba, pop, rap e outros.

Maria Lúcia também conta que os alunos estão extremamente empenhados com o evento e que a expectativa é muito positiva. “Eles estão muito ansiosos, mas tiveram muitos ensaios, então tiveram tempo de se preparar. Mesmo com a ansiedade, as crianças estão bem confiantes”, completa.

As músicas foram realizadas por alunos da rede municipal de educação. As composições finalistas são das Escolas Municipais de Ensino Fundamental: Emef Maria Luiza Pompeu de Camargo, Emef Professora Clotilde Barraquet von Zuben, Emef Padre Francisco Silva, Emef Padre Leão Vallerie, Emef Violeta Dória Lins, Emef Dr. João Alves dos Santos, Emef Orlando Carpino, Emef Edson Luis Chaves, Emef Professora Elza Maria Pellegrini Aguiar e Emef Raul Pilla.

Premiações

Todos os alunos que participam dessa etapa final irão receber um conjunto de blocos, canetas, um livro sobre o bullying, produzido pela FPB editora e uma camiseta personalizada do FEM 2011.

Os vencedores do primeiro, segundo e terceiro lugares da categoria de gêneros diversos receberão troféus. A categoria rap premiará com um troféu o estudante que conquistar o primeiro lugar.

Os estudantes que se destacarem em primeiro lugar ganharão um CD produzido pelo selo Kalamata, um selo independente que registra o trabalho de intérpretes, compositores e arranjadores brasileiros, principalmente nos segmentos de música instrumental, clássica e MPB.

Os alunos também receberão partituras com os arranjos das músicas da categoria de gêneros diversos. Henrique Tarrason, Marco Santos e Fábio Augustines são os responsáveis por elaborar os arranjos, dar formação e acompanhar os finalistas na apresentação da etapa final. Os raps receberam uma base elaborada por Adriano Bueno, profissional da Secretaria Municipal de Cultura que colabora com os ensaios de rap, desde 2009. O diretor musical do evento é Ricardo Matsuda.

As letras das músicas podem ser conferidas clicando aqui.

Para quem se interessa em prestigiar a apresentação dos alunos, o Centro de Convivência Cultura Carlos Gomes fica na Praça Imprensa Fluminense, s/nº, Cambuí.

O evento acontece nesta quinta-feira, dia 20 de outubro, a partir das 16h.

ETAPA FINAL DO FEM – REFORÇANDO ORIENTAÇÕES ÀS ESCOLAS

Conforme orientações encaminhadas na semana passada e no início desta, em cada ônibus de torcida deverão ser embarcadas 35 pessoas, por conta da capacidade do teatro.

As escolas convidadas à apresentar grupos de dança na Etapa Final, no momento da espera da contagem de pontos deverão incluir estes grupos na torcida, podendo neste caso chegar à capacidade do ônibus, lembrando de deixar vagas para os alunos que vão cantar voltarem com a torcida.

Esperamos contar com a ajuda de todos, também no que se refere a não consumirem alimentos e bebidas dentro do teatro, exceto água, assim como objetos de manuseio da torcida que sujem o local.

Solicitamos muita atenção para os horários de saída dos ônibus, e que liguem para o setor de transporte caso os ônibus não apareçam no horário previsto (21160493 – 21160488).

Outros problemas poderão ser comunicados à equipe do Programa Arte e Movimento por meio do CEFORTEPE – Central de Apoio – 32591496.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

ÔNIBUS PARA A ETAPA FINAL DO FEM – FESTIVAL ESTUDANTIL DE MÚSICA – 20/10/2011

Destino: Teatro Interno do Centro de Convivência Cultural de Campinas

Orientações Gerais:
  • Todos os grupos de alunos que irão se apresentar deverão estar acompanhados por um professor de cada escola.
  • Os alunos deverão almoçar antes de embarcar no ônibus. Lá eles recerão lanche após o ensaio geral, às 15h.
  • Deverão levar tudo que for necessário para a apresentação (roupas, acessórios, instrumentos, maquiagem etc.).

  1. Transporte dos alunos que se apresentarão na Etapa Final:

Ônibus 1 – passará em 4 escolas e depois irá ao destino
Saída 1: EMEF Pe. Leão Vallerie (R. Olindo Gardelin, s/n, Pq. Valença I) – 11h50.
Saída 2: EMEF Edson Luis Chaves (R. Ademar Manarini, 600, Santa Rosa) – 12h.
Saída 3: EMEF Clotilde Barraquet (Av.Nelson Ferreira de Souza, s/n, Jd. Florence II) – 12h10.
Saída 4: EMEF Pe. Francisco Silva (R. Fornovo, 440, Castelo Branco) – 12h20.

Ônibus 2 – passará em 3 escolas e depois irá ao destino
Saída 1: EMEF João Alves dos Santos (R. Manoel Thomaz, 635, Boa Vista) – 11h50.
Saída 2: EMEF Raul Pila (R. Promissão, s/n, Jd. Flamboyant) – 12h20.
Saída 3: EMEF Orlando Carpino (R. Luiz Alberto Wustemberg, 49, Jd. Ouro Branco) – 12h30.

Ônibus 3 – passará em 1 escola e depois irá ao destino.
Saída: EMEF Elza Maria Pellegrini de Aguiar (Jd. Dom Pedro II) – 12h.

  1. Transporte da Torcida:

Orientações Gerais:
  • Cada escola deverá imprimir dois cartazes com nome e colocar nas janelas dos dois lados, para facilitar a identificação.
  • Os professores responsáveis pela torcida deverão anotar o número do celular do motorista, para eventuais emergências.
  • Será enviado um ônibus por música inscrita, no qual deverão embarcar no máximo 35 pessoas, por conta da capacidade do teatro, incluindo os professores que acompanharão os alunos, e os alunos selecionados para a Etapa Final que deverão voltar no mesmo ônibus.
  • Esta torcida deverá ser composta prioritariamente por alunos que permanecerão na escola em 2012 e pelos grupos convidados pela equipe do FEM, que se apresentarão no momento da contagem de pontos da Etapa Final, conforme informações logo abaixo.
  • Como a apresentação acontecerá no Teatro Interno do Centro de Convivência, solicitamos a atenção de todos para os itens a seguir, referentes ao Regulamento do FEM 2011: “(...) 32. O uso de instrumentos musicais e materiais similares que produzam ruídos ou sons, de posse da plateia na forma de torcida organizada, não serão permitidos no Teatro Interno do Centro de Convivência Cultural de Campinas, em respeito ao espaço e ao festival. 33. O manuseio de papéis picados ou similares pela plateia, bem como o alimentar-se no recinto do Teatro Interno, não serão permitidos em virtude das normas e procedimentos do local”. Ainda, não será permitido o consumo de alimentos e bebidas no interior do teatro, exceto água. Os alunos não poderão ficar entrando e saindo do teatro, pois a porta se manterá fechada por conta do ar-condicionado.
  • A Equipe Gestora deverá preparar os alunos para a apresentação, tendo em vista que o espaço e o equipamento do local, que necessitam de maior atenção e cuidado.

HORÁRIOS DE SAÍDA DA ESCOLA:

Ônibus 4 – EMEF Pe. Leão Vallerie (Pq. Valença I) – 15h.
Ônibus 5 – EMEF Pe. Leão Vallerie (Pq. Valença I) – 15h (torcida mais as meninas que vão cantar).
Ônibus 6 – EMEF Elza Maria Pellegrini de Aguiar (Jd. Dom Pedro II) – 15h.
Ônibus 7 – EMEF Edson Luis Chaves (Santa Rosa) – 15h.
Ônibus 8 – EMEF Edson Luis Chaves (Santa Rosa) – 15h.
Ônibus 9 – Clotilde Barraquet Von Zuben (Jd. Florence II – 15h15.
Ônibus 10 – EMEF Pe. Francisco Silva (Castelo Branco) – 15h15 (Torcida mais as meninas que vão dançar – Projeto Ááiune.
Ônibus 11 – EMEF Raul Pila (Jd. Flamboyan) – 15h30.
Ônibus 12 – EMEF Raul Pila (Jd. Flamboyan) – 15h30.
Ônibus 13 – EMEF Orlando Carpino (Ouro Branco) – 15h30.
Ônibus 14 – EMEF Dr. João Alves dos Santos (Boa Vista) – 15h.
Ônibus 15 – Duas saídas: Dr. João Alves dos Santos / Pe. Domingos Zatti
Saída 1 – EMEF Dr. João Alves dos Santos (Boa Vista) – 30 pessoas – 15h.
Saída 2 – EMEF Domingos Zatti (Pq. Fazendinha) – 10 pessoas que vão dançar – 15h15.
Ônibus 16 – EMEF Maria Pavanatti Fávaro (São Cristóvão) – Dança Érika – 15h.

RETORNO: Solicitamos a colaboração em relação aos horários, pois no local do evento não há espaço para mais de um ônibus de uma só vez. Os alunos só deverão sair para a frente do teatro no horário estabelecido abaixo, para evitar tumulto e acidentes.

A PARTIR DAS 18H – É necessário que os motoristas atentem para a ordem das escolas porque no local não há espaço para estacionar mais de um ônibus.

Ônibus 4 : EMEF Pe. Leão Valleriè – 18h30.
Ônibus 5: EMEF Pe. Leão Vallerie – 18h30.
Ônibus 6: EMEF Elza Maria Pellegrini de Aguiar – 18h40.
Ônibus 7: EMEF Edson Luis Chaves – 18h45.
Ônibus 8: EMEF Edson Luis Chaves – 18h45.
Ônibus 9: EMEF Clotilde Barraquet Von Zuben – 18h50.
Ônibus 10: EMEF Pe. Francisco Silva – 18h50.
Ônibus 11: EMEF Raul Pila – 18h25.
Ônibus 12: EMEF Raul Pila – 18h25.
Ônibus 13: EMEF Orlando Carpino – 18h25.
Ônibus 14: EMEF Dr. João Alves dos Santos – 18h30.
Ônibus 15: EMEFs Dr. João Alves dos Santos / Pe. Domingos Zatti – 18h35.
Ônibus 16: EMEF Maria Pavanatti Fávaro – Dança Érika – 18h.

Oficinas Pedagógicas para professores de Ensino Fundamental com doação de livros para as escolas

Dando continuidade às atividades culturais e formativas, o Departamento Pedagógico da Secretaria de Educação, por meio do Programas Arte e Movimento e Linguagens e Educação, recebe o Projeto “Clássicos do Brasil”, uma realização da Komedi Projetos, por meio de leis de incentivo à Cultura, que oferecerá uma oficina para educadores e coleções de livros às Escolas Municipais de Ensino Fundamental.

Títulos de literatura clássica da Editora Komedi que serão entregues às escolas:
  • A luneta mágica, de Joaquim Manuel de Macedo;
  • Mamorial de Aires, de Machado de Assis;
  • Os escravos, de Castro Alves;
  • Eu e outras poesias, de Augusto dos Anjos;
  • O noviço, de Martins Pena;
  • Auto da barca do Inferno, de Gil Vicente.

Participação e Certificação: Cada escola representada pelos professores inscritos e presentes na oficina receberá duas coleções com oito livros cada. Os profissionais que participarão da oficina receberão certificação emitida pela empresa promotora. Solicitamos que a escola indique um representante para participar da oficina, de preferência no contraturno de sua atividade na escola. Este responsável receberá os livros que serão entregues para as escolas.

Público alvo: Professores e Gestores das escolas de Ensino Fundamental.
Data da Oficina: 04/11/2011 (sexta-feira)
Horário: das 9h00 às 11h30 – coffee Break às 10h15.
Número de vagas: 44 (uma por escola)
Prazo para as inscrições: até 31 de outubro.
Inscrições: retornando o e-mail que foi enviado para a escola ou pelo telefone 32591496, ramais 243 ou 244, com as equipes do Programa Arte e Movimento ou Linguagens e Educação. Informar o nome da escola, nome completo do profissional selecionado para representá-la, o cargo que ocupa e telefone de contato.
Local: CEFORTEPE – Centro de Formação, Tecnologia e Pesquisa Educacional “Prof. Milton de Almeida Santos” - Rua Dr. João Alves dos Santos, 860 – Jd. Das Paineiras.


OFICINA CLÁSSICOS DO BRASIL

Explorar significados e conceitos à prática literária, sob o viés das obras elencadas, é o embrião da oficina, que pretende reforçar ou estimular nos participantes o interesse pela riqueza material presente na literatura e a sua perspectiva extramuros escolares. Será pontuada, na oficina, a necessidade de sensibilização do olhar. Além da prerrogativa da apreciação de um texto literário, será vislumbrada a interação com outras artes ou áreas do saber, permitindo ao aluno trilhar por diversos caminhos que coroem o aprendizado.

A participação na oficina tende a proporcionar um contato posterior mais produtivo entre o professor e o aluno, ressaltando assim a perspectiva educacional da proposta. O profissional será incentivado a perceber ferramentas que possibilitarão um olhar ampliado e dialogístico com o texto literário.

Cada oficina tem previsão de duas horas e meia de duração. O objetivo direto é o contato dos participantes com abordagens singulares sobre literatura e formas textuais, sobretudo, as múltiplas possibilidades de olhares acerca de um texto literário e seus contextos. O conteúdo será apresentado segundo as duas obras selecionadas aos encontros. Serão observadas diversas riquezas presentes nos textos, sendo cúmplice o prazer da leitura. Interação, troca, sensibilidade e variadas maneiras de apreciação literária serão apresentadas ao professor participante. Para o ingressante na oficina e ais seus aprendizes, um requisito deve ser destacado: disponibilidade para viajar e se aventurar pelo mundo misterioso e fascinante da literatura.

O curso pretende suscitar a potencialização de agentes apreciadores e incentivadores da produção literária. A proposta visa despertar o desenvolvimento do participante e incentivá-lo como potencial portador de conhecimentos, além de valorizá-lo como profissional de educação já consistente. As aulas estão organizadas em dois módulos, a princípio independentes, mas que permitem diálogos. Os livros abordados serão:

  1. Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente.
  2. A Luneta Mágica, de Joaquim Manuel de Macedo.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Visitas Culturais: Professor Amilton Fim levou, no Dia dos Professores, alguns profissionais da Secretaria Municipal de Educação à Ópera L'enfant et les Sortilèges – Teatro Municipal de São Paulo



A Orquesta Experimental de Repertório estreou, no dia 12 de outubro, a primeira encenação na história do Teatro Municipal de São Paulo da Fantasia Lírica “O Menino e os Sortilégios”, de Maurice Ravel, sobre poema de Colette.

Realizada anteriormente apenas em forma de concerto, essa única produção da OER para a Temporada Lírica 2011, se insere nas comemorações do Centenário do Teatro Municipal de São Paulo.

“O Menino e os Sortilégios” é o maie próximo que a ópera conseguiu chegar, até os dias de hoje, da linguagem do desenho animado. Para dar voz a objetos inanimados e bichos, que expressam seus sentimentos falando e cantando, Ravel compôs uma “música anomatopaica”. A linha vocal lança mão do canto falado, de sons anasalados e vários recursos que buscam reproduzir os sons da natureza.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

OFICINAS TEMÁTICAS LIVRES - ÚLTIMAS VAGAS

Últimas vagas para participar das Oficina Livres deste ano.

As inscrições vão até 5 dias antes de cada Oficina.
 
PROGRAMA ARTE E MOVIMENTO-OFICINAS TEMÁTICAS LIVRES

OBJETIVO: Promover a socialização e a interação entre os educadores, por meio de atividades sócio-culturais.
PÚBLICO ALVO: Educadores da Rede Municipal.
CONDIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO: fazer inscrição e trazer material quando solicitado.
IMPORTANTE: essas oficinas não prevêem emissão de certificação ou remuneração.
INSCRIÇÕES: por meio do telefone 32591496, ramal 243 ou pelo endereço eletrônico: cefortepe.artemovimento@campinas.sp.gov.br .
LOCAL: CEFORTEPE – Rua Dr. João Alves dos Santos, 860, Jd. Paineiras.

- PROGRAMAÇÃO DO 2º SEMESTRE – 2011

1. DANÇA DO VENTRE TERAPÊUTICA (apenas para mulheres)
Ementa: Oferecer às educadoras participantes a aprendizagem dos movimentos executados na dança do ventre com o objetivo de estimular a produção e o equilíbrio dos hormônios femininos, auxiliar a cura de insuficiência ovariana, combater a prisão de ventre, já que estes movimentos trabalham o tônus das paredes abdominais e contribuem para o peristaltismo voluntário. A dança do ventre estimula a produção de hormônios pela glândula pineal, cujo desequilíbrio leva a mulher à depressão. Outro benefício da Dança do Ventre é o desenvolvimento da auto-estima.
Obs: Usar roupa confortável(de ginástica ou dança e camiseta)
Formadora: Silvana Salvador do Amaral
Periodicidade: Os encontros terão periodicidade semanal.
Horário: Turma B – 6ª feira, das 14h30 às 16h00
Sala: Auditório CEFORTEPE

2.OFICINA: MAIS VIOLÃO
Ementa: Oferecer aos educadores que já participaram dos cursos de violão ou que dominam o instrumento a ampliação de conhecimento de ritmos e repertório visando o trabalho pedagógico.
Formadora: Maria Inês Bachiega
Material: violão.
Datas: Oficina 2 - 26/10 (4ªs Feiras) - repertórios diferentes
Horário: 18:30 às 20h
Vagas: 25 (a oficina acontecerá se tiver, no mínimo 10 inscritos)
Sala: Biblioteca

3. OFICINA: OFICINA DE PAPEL MACHÊ
Ementa: Confeccionar peça em papel machê tendo como base uma tigela pequena de plástico ou de vidro de 15 a 20 cm de diâmetro sem relevos por dentro dela. A tigela serve de base e quando secar o machê será retirado);  pintar a peça após a secagem (48 horas pelo menos).
O papel machê é uma técnica muito antiga que pode ser trabalhada de muitas formas para fazer os mais diversos objetos. Muito lúdico!
Formadora: Ana Cristina Bachiega de Castro
Material:
- A massa será fornecida pronta, mas será ensinada aos participantes;
- 1 chumaço de algodão;
- tinta acrílica fosca para artesanato ou (branca e mais uma ou duas cores de acordo com o gosto de cada um); ou tinta PVA para artesanato;
- verniz à base de água para artesanato (fosco ou brilhante)OPCIONAL;
- pincéis de artesanato: 1 chato não muito largo, 1 fino redondo (o tamanho dos pincéis depende do desenho que a pessoa fará na peça pronta);
- lápis;
- lixa de unha;
-uma colher de chá de metal e uma de sobremesa (para ajudar a alisar a massa) ou outros objetos que sirvam para alisar.

OBSERVAÇÃO: teremos 2 encontros para fazer o trabalho
Datas: 17 e 24 de novembro (2 quintas-feiras)
Horário: das 14h00 às 17h00
Vagas: 15 pessoas (a oficina acontecerá se tiver, no mínimo 10 inscritos)
Sala: 43 - laboratório

4. OFICINA: PINTURA EM AQUARELA
Ementa: Aprender a trabalhar com a técnica da Aquarela, pintura no papel próprio para a técnica, com resultados surpreendentes. A leveza, a transparência, a delicadeza, ou cores fortes, pinceladas carregadas de tinta, onde o resultado é quase sempre imprevisível. A Aquarela é muito utilizada por arteterapeutas justamente por essa imprevisibilidade tão bonita. Utilizaremos um desenho básico para esboçar o que queremos pintar e assim as tintas vão nos mostrando o caminho.
Formadora: Ana Cristina Bachiega de Castro

Material:
- folha de papel próprio para aquarela 200 gm (folha grossa) -uma folha grande pode ser dividida entre 4 pessoas ou fazer 4 trabalhos;
- pincel redondo para aquarela (1 fino, 1 médio e 1 maior) identificado com seu nome – podemos trocar os pincéis durante a oficina dependendo do trabalho de cada um;(SUGESTÃO DE PINCEL: Tigre para aquarela referência 145 – escolher os tamanhos)
- giz de cera branco e outras cores;
- papel toalha (várias folhas);
- vasilhas para colocar água (pode ser pote de sorvete, copo plástico firme, etc.);
- godês plásticos com várias cavidades, ou prato branco;
- lápis preto 2B e apontador;
- borracha escolar;
- aquarela em bisnaga: amarelo médio (nem escuro nem claro), vermelho (o tom mais perto do vermelho normal) e azul médio (nem escuro nem claro) – vamos  misturar as cores para chegar nos tons adequados;  ou comprar a caixinha com diversos tons já prontos;
Onde comprar aqui em Campinas: Casa da Arte, Cris Art;
OBS: Vários materiais podem ser compartilhados, comprados em conjunto.

Data: 27/10/11(quinta-feira)
Horário: das 14h00 às 17h00
Vagas: 15 pessoas
Sala: 44 - laboratório

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Encerramento do JEM reúne escolas e faz premiação




Alunos de 32 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) participaram nesta segunda-feira, dia 10 de outubro, do encerramento dos Jogos Escolares Municipais (JEM). Os vencedores receberam troféus pela participação e atuação nas competições e agitaram o auditório Dom Gilberto, no campus I da PUC-Campinas.

A diretora do Departamento Pedagógico da Secretaria Municipal de Educação, Renata von Zuben entregou o troféu da vitória para a Emef Anália Ferraz da Costa Couto, que levou o maior número de participantes aos jogos. Em segundo lugar, ficou a Emef Raul Pilla e logo em seguida, a Emef André Tosello.

Os alunos que se destacaram nas modalidades subiram ao palco para receber um troféu. Janaína do Carmo Silva estava entre os representante das Emefs que receberam a premiação. “Representar a escola e os amigos é uma sensação muito legal. Ser aluno destaque em uma modalidade não é fácil, treinei bastante. Consegui o vice campeonato em arremesso de peso neste ano e estou muito feliz”, contou a aluna da Emef Raul Pilla.

A cerimônia de encerramento dos jogos também contou com a apresentação de dança dos alunos da Emef Raul Pilla, que empolgou os alunos e a comunidade escolar, recebendo os aplausos do público.

O coordenador dos JEM e professor de educação física, Jefferson Hespanhol, frisou a importância da colaboração, participação e cooperação de todos no evento. “O aluno não precisa brigar e ter conflitos sociais no jogos. O JEM também premia os que ganharam as modalidades na competição. Mas os jogos ressaltam a importância daquele que teve o compromisso de participação social esportiva”, disse.

Segundo a coordenadora do programa Arte e Movimento, Maria Lucia Bachiega, o melhor prêmio a ser dado para as crianças é a lição de participação em grupo, onde o foco principal está longe da competitividade. Ainda para Maria Lucia, “os alunos são o objetivo da educação e sem o apoio das escolas, o evento não teria acontecido”.

Ao som de muita música e alegria, Douglas Leme da Silva Júnior foi uma das crianças que assistiram a uma série de fotos da participação das Emefs durante os jogos. O aluno do 6° ano destacou o vôlei feminino como o mais divertido dos JEM. “O vôlei foi o mais legal. As meninas agitaram, jogaram melhor, chamaram a atenção da gente”, completou.

JEM

Os JEM tem como objetivo o incentivo à prática esportiva e a manifestação da cidadania, com atitudes de respeito e ética para que os participantes conquistem objetivos individuais e em grupo, vivenciando atividades fora da escola e conhecendo alunos de outras unidades.

Realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, os Jogos serão disputados em oito modalidades: atletismo (feminino e masculino), basquetebol (feminino e masculino), futsal (feminino e masculino); handebol (feminino e masculino); voleibol (feminino e masculino); tênis de mesa (feminino e masculino); damas (misto) e xadrez (misto).